5 de janeiro de 2016

A experiência de ir do Aeroporto a Praia do Forte.

Resort em Praia do Forte

Foto do arquivo pessoal da Rafaela Frazão.

Todo mundo sabe – ou pelo menos deveria – que a Praia do Forte é um dos principais destinos do litoral norte. O destino possui diversos atrativos turísticos, principalmente, por conta da pequena distância deste com a capital soteropolitana, bem como, pela existência de um enorme e invejável complexo hoteleiro. Entretanto, há pouca informação acerca de como chegar a esse destino, sobretudo, para quem desembarca no Aeroporto Internacional de Salvador – principal porta de entrada de turistas ao Estado.

Ao receber um e-mail de uma leitora – e de comentários de muitos outros – tive a consciência da importância do meu blog para o desenvolvimento do turismo na minha região e na prestação de informações – que muitas vezes, deveria ser das empresas que prestam tais serviços, e lucram com isso. A propósito, desde que escrevi a postagem Como ir de Salvador a Praia do Forte de ônibus?, e o texto com os “horários da Linha Verde”, sempre tentei um contato com a empresa, e nunca obtive uma informação deles. Mas, (Graças a Deus!) tenho leitores, e eles compartilham suas experiências comigo. Logo abaixo, o texto da (leitora) Rafaella Frazão:

Rafaela_Frazao

Foto da Rafaela e seu esposo.

Como foi minha viagem à Bahia?

Chegamos a Salvador, munidos do nosso roteiro (Para tudo, ela imprimiu o e-mail com as dicas que dei!). Nos encaminhamos para o Terminal de Ônibus ao lado do aeroporto e aguardamos um dos dois ônibus sugeridos por você (L508 ou 1328) e então descer na Associação de Funcionários Públicos de Lauro de Freitas. Depois de esperar um tempo, decidimos pegar qualquer um que estivesse saindo, descer na estrada e ir andando em direção a Associação (amei, o lado dela aventureiro!).

Pegamos o 1003 e no primeiro ponto da avenida principal descemos e fomos andando. Infelizmente as calçadas não ajudam muito, mas somos completamente mente aberta quando o assunto é viagem, queremos aproveitar tudo e levamos tudo como uma forma de nos divertir – acabamos encontrando um Jambeiro no meio do caminho e nos deliciamos (isso que é aliar o útil ao agradável!).

Chegamos a Associação e começou nossa espera por um desses dois ônibus da Linha Verde:

– Calçada – Porto do Sauípe (horário de saída do ponto final 11h / 12h/ 13h)

– Calçada – Porto do Sauípe via praia do forte (horário de saída do ponto final 11:30h / 13:20h)

*** Foi nessa hora que percebemos que na Bahia não tem horário de verão (é verdade, há oito anos que o nosso estado não adere ao horário de verão), e que ficaríamos esperando a condução um pouco mais de tempo.

Depois de muito esperar, e nenhum ônibus passar, decidimos pegar uma van da Linha Branca, e então descobrimos que naquele sábado em questão, estava tendo greve de ônibus e os da Linha Verde em especial, eram os que mais tinham aderido a greve.

Já na van, avisamos ao motorista que desceríamos no Iberostar, só pra não ter problema de pegar a van errada. Mas por via das dúvidas, fomos com o GPS do celular ligado. A viagem foi super tranquila, mais rápido do que imaginávamos, a van nos deixou na BA 99 e andamos a rua até a entrada do hotel.

Nosso retorno foi numa quarta feira, andamos até a estrada esperamos uma van que veio relativamente rápido – estou achando que tem mais van da linha branca do que coqueiro, rsrsrs –, e por saber da proximidade da estrada para o aeroporto, descemos no ponto de ônibus que fica em frente a rua do aeroporto e fomos andando até lá. Aquela rua de bambus é realmente encantadora (concordo!).

Chegamos ao aeroporto cedo, e fica como dica, que quem quiser comer algo por lá, que coma antes do setor de embarque – tem Bob’s, Subway, Giraffas e muito mais com preços aceitáveis do que os valores cobrados lá no setor de embarque.

Enfim, essa foi minha experiência baiana, super recomendo ir de ônibus ou van. Pagamos R$ 3,50 no ônibus (as tarifas de ônibus em Salvador é R$ 3,00. Esse especificado por ela, trata-se de um ônibus metropolitano – que liga salvador a outros municípios próximos – e por isso, custa um pouco mais caro!)  até a estrada e R$ 7,50 na van até o hotel totalizando R$ 18,50 por pessoa (ida e volta) sem sacrifícios. Pois, pagar R$ 300 por pessoa de transfer (ida e volta), ou R$ 400 de taxi (ida e volta) ou alugar um carro por R$ 500 (mais combustível), fica bem fora de cogitação. Se precisar descer na praia do forte, taxi custa em média R$30 (ela quis dizer, da praça da praia do forte até o hotel, com o taxímetro rodando!)

Abração Cidilan, muito obrigada por todas as dicas, obrigada pela atenção e cuidado (De nada, Rafa! Eu que agradeço por compartilhar sua experiência conosco).”

Vem com a gente, e se pluge!

Fanpage: Se Pluga no Mundo

Twitter: Se Pluga no Mundo

Instragam: Sepluganomundo

Receba o nosso conteúdo no seu e-mail. (É só colocar seu endereço de e-mail, e verificar a imagem! Você receberá um e-mail de confirmação, clique no link, e pronto, você será informado quando publicarmos um novo post!)

Administrador e Editor Geral do conteúdo do Blog. Graduado em Letras com Inglês, formação técnica em Turismo e Hotelaria, com certificação internacional pela International Cultural Center (ICC); É apaixonado pelo aprendizado de línguas estrangeiras. Fala Inglês e Espanhol. Adora viajar de forma independente, mas, sem dispensar a companhia de sua companheira, e sua grande admiradora, a mãe!

Sem comentários até agora... Seja o primeiro a deixar uma resposta!