22 de dezembro de 2013

Certificado Internacional de Vacina

CIVPO Certificado Internacional de Vacina contra a Febre Amarela é simples de se conseguir, basta que o viajante tenha ‘tomado’ a Febre Amarela com o mínimo de 10 dias de antecedência. Sendo a vacina aplicada, você receberá um Cartão Nacional de Vacina. Além desse documento, você deverá apresentar o RG – ou outro documento com foto – em qualquer posto da ANVISA. Você poderá encontrá-lo nos aeroportos internacionais e portos marítimos de sua cidade. Confira se o cartão nacional de vacina está corretamente preenchido (com a data de administração da vacina, lote da vacina, assinatura do profissional que realizou, e identificação da unidade de saúde).

Eu, sinceramente, desconhecia a exigência da vacina pela imigração boliviana – por isso, verifique (aqui na lista) se o país que planeja conhecer a exige. Durante uma conversa com o nosso amigo, o Tony Marley – administrador do Blog Peru via Acre – fui advertido acerca da necessidade do CIVP. Ele me contou que ao levar umas mineiras em Cobija (BO), a agente de imigração boliviana barrou a entrada delas, pois, elas viajam sem o certificado Internacional de Vacina. Diante desse relato, corri imediatamente em busca da minha velha carteira nacional de vacinação, e fiquei muito tranquilo quando descobri que ainda estava resguardado por uns 12 meses – odeio agulhas, e com certeza, evitaria ao máximo uma.

Dois dias após, fomos ao Aeroporto Internacional de Salvador, tirar o nosso CIVP. Minha mãe conseguiu, mas, eu não. A atendente da ANVISA me dizia que faltavam dados. Tentei por duas vezes, conseguir a vacina na Unidade de Saúde, mas, elas se negavam. Decidi ir, no dia seguinte, a outro posto da ANVISA (este localizado no bairro do Comércio), imaginei que seria uma falta de atenção, ou falha da atendente. Mas, (in)felizmente, a atendente me disse o mesmo que a anterior. Deixa eu te explicar… eu havia tomado a vacina contra a febre amarela durante uma campanha de vacinação de um posto de saúde em minha escola – quando ainda ainda estudava. Até ai, tudo bem… só que, a enfermeira que aplicou a vacina na época não anotou corretamente as informações no cartão. E por isso, tive toda essa dor de cabeça!

Decidi esquecer que havia me vacinado anteriormente, e que possuía um cartão de vacina, e fui ao Posto de Saúde do Centro Histórico de Salvador. Sai de lá com um novo cartão de vacina em mãos, o braço dolorido, e o sorriso nos lábios. Por isso, faço questão de reforçar… Tente resolver isso o quanto antes, pois se houver qualquer eventualidade, você terá tempo hábil para consegui-la.

Quer está mais próximo? Vem conosco:

Siga-nos no twitter: @Sepluganomundo

Fanpage: /Sepluganomundo

Administrador e Editor Geral do conteúdo do Blog. Graduado em Letras com Inglês, formação técnica em Turismo e Hotelaria, com certificação internacional pela International Cultural Center (ICC); É apaixonado pelo aprendizado de línguas estrangeiras. Fala Inglês e Espanhol. Adora viajar de forma independente, mas, sem dispensar a companhia de sua companheira, e sua grande admiradora, a mãe!

Sem comentários até agora... Seja o primeiro a deixar uma resposta!