7 de fevereiro de 2012

Che Lagarto – Primeira rede de hostel na América do Sul

Quem é acostumado a viajar e hospedar-se apenas em hotéis, e não abre mão, por ser uma “tradição” e uma ideia já formada, pode se surpreender com as experiências inovadoras que um hostel pode lhe proporcionar.

Etiologicamente vem dos vocábulos berge (árabe) e haribergen (gótico) originando o verbo “hospedar” e a palavra “albergue”.

Hoje em dia é um meio comum de hospedagem, ainda que algumas pessoas tenham uma idéia um pouco confusa – pelo próprio nome “Albergue” por ser há muito tempo associado a “lugar de desabrigados- medingos e asilados”. Hoje os albergues ou hostels como também são conhecidos em vários países tornaram-se populares e caíram no gosto dos viajantes de vários tipos, com o conceito de misturar culturas.

 

Um bem conceituado nesse ramo de hospedagens alternativas é o já conhecido Che Lagarto, rede de albergues que já está no mercado desde 1997, sua primeira sede foi na Argentina, e hoje está presente na maíoria dos países da América do sul, sem duvidas é um ambiente propício para trocas culturais, com uma atmosfera descontraída e marcada pelo agito jovial, além de um dos fatores mais importantes, a localização; as franquias do Che são bem localizadas, próximas dos pontos turisticos mais importantes de cada país.  Afinal, estar bem localizado numa viagem, próximo dos melhores points e lugares que não podem faltar num roteiro de viagem, só é vantagem, e claro, economia.

Exemplo desse sucesso é o hostel em Montevidéu, ambiente agradavel, jovial, bem decorado e sem dúvidas, acolhedor e bem localizado.  Em frente á principal praça do Uruguai: Praça Independência, onde se encontra um dos pontos mais atrativos da cidade, o Portal da Cidade Velha – resquício das antigas muralhas que cercavam a cidade; além do Palácio Salvo que foi considerado o maior prédio da América do Sul por vários anos, e que encanta a todos que o avista. Além de ter a conveniência de estar hospedado a apenas alguns passos da Avenida 18 de Julio, a mais importante de Montevidéu.


Essa é a cara do Che Lagarto em Montevidéu, um lugar jovem, versatil e antenado ás tendencias culturais.  Apesar do prédio ter sido construído no final do século XIX, o hostel possui uma ótima estrutura. Em um dos seus ambientes, o hostel possui um pub – espécie de bar/restaurante – que anima os viajantes que procuram diversão e distração sem precisar sair em busca de estabelecimentos abertos, nesse mesmo espaço é servido o café da manhã, que já é incluso na diária, e o melhor, uma refeição variada: torrada, pão de forma, café, leite, sucos, frutas, geléias e claro, o que não pode faltar, o doce de leite uruguaio, compôem o alimento matutino. Já durante a noite, você pode desfrutar da noite temática, que é um dos atrativos desse espaço, um detalhe importante, a cada dia da semana eles oferecem uma opção de prato típico, uruguaio – ou não.

Entretanto, se você preferir comprar algumas coisas no supermercado e fazer sua própria refeição, você contará com uma cozinha equipada com tudo aquilo que você precisa de utensílios ( tais como: talheres, pratos, panelas, micro-ondas, geladeira, fogão e etc) para preparar os seus próprios alimentos. Mais um diferencial do mesmo.

Vale lembrar que, o staff* do Che lagarto é bilíngüe, além da língua nativa, o espanhol, falam inglês, e alguns ainda dominam bem o português. Eles podem te ajudar a reservar os principais restaurantes e atividades, caso você ainda não se sinta confortável em encarar uma conversa pelo telefone, além de lhe auxiliar na escolha da melhor opção de passeio turístico, transfer in e out, aluguel de bicicletas, aulas de tango, espanhol e etc.

Em um dos ambientes, há um pátio com uma clarabóia original que facilita a entrada da luz natural, e lhe permite acompanhar o transcorrer do dia. E nos fundos, uma área coberta com uma mesa de ping-pong – ótima oportunidade para se divertir e fazer novas amizades.

Os quartos são distribuídos nos dois andares que compõe o prédio, entre as opções, estão habitações compartilhadas (com duas, três, quarto ou mais camas) e privadas, para os mais “preservados”. Aos viajantes que precisam de algo mais, as opções de quartos privados são uma opção interessante, pois, é possivel ter acesso a mais comodidade, basta investir um pouco mais para poder usufruir, como por exemplo: dormir numa cama Queen size, ter TV à cabo com os principais canais de notícias e filmes, banheiro privado e toalhas. Segundo, Elaine Pimentel, viajante veterana com passagem por países como Itália e Espanha, acostumada a se hospedar em albergues e optar por habitações privadas durante as suas viagens, a diferença de valores nem sempre é muito grande, quando estamos viajando passamos muito tempo fora dos albergues, na maioria das vezes voltamos para dormir e tomar banho. Entretanto, “o motivo mais relevante é que viajo sozinha em busca do meu equilíbrio, do meu autoconhecimento, preciso de paz e tranqüilidade para que eu consiga, me reenergizar e, isso não consigo num quarto coletivo”. “Pratico meditação todo amanhecer e a prática da minha espiritualidade está presente em todas as minhas viagens, estou sempre buscando me conhecer e desta forma entender o ser humano”, acrescenta.

Se você precisa estar um pouco só como a Elaine Pimentel ou em quartos coletivos, quer fazer amizades de vários lugares e culturas diferentes o lugar certo é o Che Lagarto. A equipe do nosso blog/site esteve em Montevidéu, e também optou pelo Che, e aprovou o espaço. Faça como a nossa equipe e milhares de viajantes Se Plugue no Che Lagarto!

Rede sociais:

Facebook: CHE LAGARTO HOSTELS

Twitter: @CHELAGARTO

Administrador e Editor Geral do conteúdo do Blog. Graduado em Letras com Inglês, formação técnica em Turismo e Hotelaria, com certificação internacional pela International Cultural Center (ICC); É apaixonado pelo aprendizado de línguas estrangeiras. Fala Inglês e Espanhol. Adora viajar de forma independente, mas, sem dispensar a companhia de sua companheira, e sua grande admiradora, a mãe!

4 Respostas para “Che Lagarto – Primeira rede de hostel na América do Sul”