28 de janeiro de 2009

Primeiras horas em Buenos Aires

Imagem 513 (Foto do ônibus de São Paulo á Foz, e representando o de Foz à Bs As)
Depois de várias horas de viagem, com uma pausa em Foz do Iguaçu, emfim chegamos a Buenos Aires. Estavamos (eu e minha mãe) junto com o grupo de mochileiros da comunidade “Eber, quero fazer um mochilão!!” desde São Paulo.
Já no Teminal de ônibus em Buenos Aires, O grupo estava decidindo como chegar ao Hostel. Minha mãe e eu decidimos que iriamos sozinhos, devido aos hostels serem diferentes, assim como o Bruno havia informado. A rodoviária estava muito movimentada, por causa da proximidade das datas importantes tais como: o Natal e o Ano novo, era grande a movimentação de pessoas e um barulho ensurdecedor . Fomos a busca da “planta” da cidade, para melhor nos localizar e nos locomover na cidade, mas como era domingo, o lugar onde disponibilizava os mapas estava ‘Cerrado’ (fechado). Perguntei a atendente como poderiamos chegar ao Hostel de ônibus, porém sem entender muito sairmos do terminal.
Imagem 721
(ônibus em Buenos Aires, próximo a casa Rosada, Secretaria de Comunicações)
Perguntamos a algumas pessoas, mas sem muito êxito, fomos informados sobre o ônibus número 75, no ponto estava uma Jovem senhora, pedi um ajuda perguntando onde pegar o ônibus e como chegar.
Eu- Hola, Puede Ayudar-me?
Ela- Yes I can,
Eu- Yo quiero llegar a esa Calle, (amostrei o Papel) Calle San Juan;

Porém ainda não tinhamos trocado nosso dinheiro (Real), estavamos sem nenhum centavo. E para pagar o transporte, eles (motoristas) só aceitam moedas de 1 peso, a senhora tratou de troca a nota de 2 pesos.
Eu- Pero nosotros no tenemos la plata para coger lo ónibus, no cambiamos, solo tenemos Reais, y tudo acá esta cerrado.
Abriu a carteira e pegou 2 pesos em cédula, e saiu andando… pensei que pediria ajuda à alguém para pagarmos o ônibus.
Ela- tiene 2 platas? (Falou com um moço.) Sem sucesso, pediu a uma senhora para trocar, e a senhora trocou por moedas.
Todas as instruções, de como chegar e tudo mais ela fez questão de falar em Inglês. Isso é prova que Argentino também é muito hospitaleiro e gosta muito de ajudar os turistas.
Logo corremos, pois o 75 tinha chegado, subimos… e sem sabermos como pagar, o motorista nos auxiliou no pagamento rsrsrsrs. já sentados e mais tranquilos, dei um tchauzinho da janela do ônibus e um muito obrigado em casteliano ‘Gracias’. E logo pedi ao motorista para nos avisar quando chegassemos a rua San Juan.
Ainda não Acreditava que estava vivendo tudo aquilo.

Sem comentários até agora... Seja o primeiro a deixar uma resposta!